Entrevista: José Geraldo Pimentel, presidente do NAC, fala sobre a preparação para o Módulo II

Silverio Amora 24/11/2017 0
José Geraldo - Esporte Atividade

Na última segunda-feira, o presidente do Nacional de Muriaé. José Geraldo Pimentel, concedeu entrevista para o programa “Esporte Atividade”, da TV Atividade. Na ocasião, ele tratou sobre diversos assuntos referentes ao clube, principalmente sobre a preparação para a disputa do Módulo II em 2018.

Um dos articuladores da mudança no regulamento da competição, o mandatário nacionalino defendeu a nova fórmula, enfatizando a economia que irá gerar para os clubes. Outro tema bastante discutido foi sobre a montagem do elenco, que segundo José Geraldo, já está praticamente fechado, apesar da política de ainda não revelar nomes dos atletas contratados. O presidente confirmou também a apresentação para o dia 2 de janeiro.

Confira abaixo a íntegra da entrevista:

Abaixo, segue o vídeo do programa:

Módulo II com alteração no regulamento

Há 15 dias nós estivemos em Belo Horizonte para conversar com o presidente eleito (da FMF), Adriano Aro. A gente procurou ele, juntamente com outros clubes, para ver a respeito de taxas e o que poderia ajudar os clubes… E nessa reunião, onde estava presente representantes do Nacional, Social, Tupynambás, Guarani, Democrata… E a gente iniciou a conversa para já chegar no arbitral mais ou menos definido. A gente olhou a situação financeira dos clubes. Todo mundo sabe as dificuldades que estamos atravessando, não só o futebol, mas a economia. E a gente partiu para isso: um campeonato mais curto, mais enxuto. Onde a gente vai abrir mão aí de dois meses de folha de pagamento. Vamos fazer a apresentação no dia 2 de janeiro e o campeonato termina no dia 29 de abril ou 5 de maio. No arbitral teve a pressão de alguns clubes não aceitando, mas prevaleceu essa união que a gente teve dias atrás. Onde todo mundo está pensando realmente no lado financeiro, mas também na competição, que vai ser mais emocionante. Vai ser um turno único, diminuíram as viagens e o Nacional, pela classificação do ano anterior, vai jogar as seis partidas em casa. Acho que é o diferencial para o Nacional, essas partidas dentro de casa. É uma competição nova, mas tenho certeza que vai ser um grande campeonato.

Argumentos de quem foi contra a mudança

No pré-arbitral, nós fizemos conta de tudo. Já no arbitral, várias equipes não aceitaram: Ipatinga, Tricordiano, América de Teófilo Otoni, Mamoré…. Mas eu não sei qual foi o raciocínio deles.  A gente olhou o lado financeiro e a dificuldade é muito grande para todos nós. Na hora do arbitral, houve uma pressão para tentar mudar, até teve um clube que me procurou e eu falei que a gente não voltava atrás na palavra que tinha dado ao grupo. Cada um sabe do seu ponto de vista. Eu procurei defender o Nacional.

Apresentação no dia 2 de janeiro e tempo de preparação para o Módulo II

Foi feita uma reunião com a comissão técnica. Se analisar direito, se a gente apresenta, por exemplo, 2 de dezembro, dia 20 tem que ter aquela parada de 12 dias (Natal, Ano Novo) e os jogadores voltam fora do que foi feito anteriormente. A torcida pode ficar tranquila, porque a gente pesou tudo, conversamos com treinador, a decisão foi tomada em conjunto. E as 12 equipes parecem que vão ser apresentar no dia 2 de janeiro, se tiver diferente é um ou outro, mas muito pouco. No arbitral mesmo foi falado isso. Tem clube que nem definiu treinador ainda.

Mudanças no Regulamento

Infelizmente teve um diretor que me indagou que foi olhado o lado financeiro. E eu respondi que foi o principal e respondi que ele, como diretor, não era quem corria atrás do dinheiro. Ele está trabalhando e acabou a competição vai pegar o carro e vai embora. E nós é que ficamos na cidade, com a nossa cara.

Ajuda da Federação

A primeira conversa, no pré-arbitral, foi muito boa com o Adriano (presidente eleito da FMF). Foi montado um projeto e passamos para a Federação. Eu acredito que a gente vá ter alguma ajuda sim, mas ainda não está definido.

Montagem do Elenco

Trabalhando junto com a diretoria, com o Batista (gerente de futebol) e com a comissão técnica, hoje nós estamos com 100% do grupo definido. E tem muita coisa boa para vir este ano. A gente fica até um pouco emocionado pela credibilidade que a gente tem no mercado. Teve algum problema esse ano? Teve, mas a gente não “procurou”, ele aconteceu durante a competição. A entidade Nacional está acima de todos nós e eu sempre respeitei. Meu mandato termina em 2019 e independente de eu continuar, a minha intenção, juntamente com toda a diretoria, é colocar o Nacional na 1ª divisão.  Então a gente está praticamente com 100% do time contratado e um grupo muito forte. Isso que eu posso passar para vocês: é um grupo excelente, vocês vão ter muitas surpresas. Nós fizemos também o trabalho com o pessoal da nossa região, dando oportunidade também para os garotos. Passaram lá mais de 100 atletas, o Pereira (treinador) veio e selecionou cinco e eles vão estar no grupo no dia 2 de janeiro para poderem ser avaliados dentro do grupo. Mas tenho certeza que a gente está no caminho certo. 2016 bateu na trave, 2017 também praticamente bateu na trave… A hora do Nacional está chegando e, se Deus quiser, a gente vai colocar o Nacional na 1ª divisão.

Quantidade de Jogadores

A gente falou que está fechado, mas pode mudar alguma coisa até lá, a gente não sabe. O Pereira quer iniciar, no dia 2 de janeiro, com 30 atletas, inclusive com os garotos da região que foram selecionados. E depois ele vai fazendo o trabalho dele para a gente poder iniciar o campeonato com, estourando, 25 ou 26 atletas, que é o número que eu acho que é o certo.

Permanência de jogadores desse ano para o ano que vem

Não foi levado nada em consideração o que aconteceu esse ano (alguns jogadores deixaram o clube antes do fim do Módulo II e, no último jogo, o NAC teve apenas 9 atletas relacionados). Foi montado um novo plantel. Se vai ser melhor que o de 2016 ou 2017, o que vai falar é quando a bola rolar. A gente está procurando fazer o melhor, vocês podem ter certeza disso. A gente está tomando todo o cuidado com os sete atletas acima da idade. Talvez as pessoas podem achar que, por ter tido só nove jogadores no último jogo, não vai ter ninguém daquele grupo. Mas podem ter alguns jogadores sim, com certeza.

Eventos no estádio Soares de Azevedo

O show (do Wesley Safadão e Mc Kevinho) para mim foi uma grande surpresa, pois foi um risco que nós da diretoria assumimos. Tive o maior cuidado para acompanhar a montagem, um trabalho espetacular, uma empresa perfeita que veio fazer o piso para proteger o gramado. Trabalho excelente, que eles fazem também no Mineirão, Morumbi, Parque Antártica… O Nacional não teve prejuízo, nem de uma descarga no banheiro. A gente tem que agradecer ao público que esteve lá e respeitou o patrimônio. Sobre o gramado, dois dias depois a empresa que a gente contrata todo ano para fazer o trabalho, já estava presente no estádio. A única diferença que tem no gramado é onde colocou o piso e queimou um pouco, mas com uma semana isso já está recuperado. Não danificou nada no estádio e, na minha opinião, é mais uma fonte de renda que o Nacional tem hoje. O valor arrecadado agregou muito à receita do clube e já recebi e-mails a respeito de próximos eventos.

 

Condição do gramado

Todo ano a gente já faz tratamento. A empresa vem e tem um maquinário que fura o campo todo coloca adubo e tudo o que precisa. A CBF manda para a gente o que tem que ser feito para cuidar do gramado. Esse ano a gente segurou um pouco para esperar o show e depois fazer um trabalho só. E graças a Deus, São Pedro ainda contribuiu bastante, com a chuva.

Esperança para 2018

A gente entende o ponto de vista do torcedor, por conta de 2016, 2017. Mas quando a gente faz o planejamento para a competição, quer o acesso. Se me perguntarem se o grupo que está sendo montado para o ano que vem é superior que o de 2016 e 2017, eu vou dizer que sim, mas o que vai responder mesmo é dentro de campo. Esse ano eu procurei participar mais das contratações, juntamente com o Pereira e com o Batista. A gente procurou até ligar para treinadores que trabalharam com atletas que foram indicados. Procuramos como o jogador era dentro de campo e também fora, porque, infelizmente, a gente tem que olhar esse lado também.

Situação do NAC Futsal

O Valdinei (coordenador de futsal) merece o reconhecimento de toda a cidade, por conta do trabalho que vem fazendo no futsal de Muriaé. Uma pessoa de um dinamismo, competência e honestidade acima do comum e que veio somar muito no Nacional e, com certeza, vai participar muito do profissional quando terminar o futsal. E a gente está dando apoio dentro das condições do Nacional. Para se ter uma ideia, o nosso ônibus estava parado e eu mandei consertar agora para eles irem no ônibus. Tenho certeza que eles vão viajar, porque o Valdinei não está medindo esforço para isso.

Patrocinadores

O trabalho, da mesma forma que foi feito desde agosto para montar a equipe, a gente também está correndo atrás para fechar os patrocinadores. Tem novidade sim no patrocinador máster, mas por enquanto a gente não pode divulgar.

Comissão Técnica

No caso de auxiliar técnico, o Nacional vai ter um e o Pereira vai trazer mais um, que no caso é o filho dele, o Lucas Dominick. Já estão definidos também o Hugo (preparador de goleiros), o roupeiro será o Viola, que estava na Caldense. O massagista é o Limão, que estava no União Luziense. E o preparador físico já está praticamente fechado, mas não dá para falar ainda.

Uniforme

A gente vai usar o padrão tradicional do Nacional. Esse ano até teve uma camisa diferente, mas acho que a tradicional a gente não pode mudar de forma alguma. A respeito do fornecedor, a gente tem contrato com a KickBall até 31 de dezembro e a gente vai analisar se renova ou troca. Ainda não está decidido.

Folha Salarial

Esse ano (2017) a gente teve uma folha um pouco mais alta e para o ano que vem está bem inferior. E vão ser apenas quatro meses de folha: janeiro, fevereiro, março e abril. No último campeonato, tinha seis folhas de pagamento e esse ano tem quatro.

Possibilidade de ajuda da Prefeitura

A gente já teve uma reunião com o Grego (prefeito de Muriaé) e ele se prontificou a ajudar, vai apoiar o Nacional também. Tenho certeza que a gente vai ter esse apoio da prefeitura novamente. Eu acho que a Prefeitura tem que pensar num todo, saúde, infra-estrutura, mas o esporte também faz parte. Talvez as pessoas não tenham noção do que é um time na primeira divisão, o que isso representa para a cidade.

Colocar o Nacional na 1ª Divisão

A torcida de Muriaé merece isso. E pode ter certeza que todas as críticas que vêm do torcedor, elas são bem recebidas por nós da diretoria, porque ele quer o melhor para o Nacional. E aproveito até para pedir desculpas ao torcedor de Muriaé por aquele último jogo, quando a gente foi contra o Patrocinense com nove jogadores. Porque a entidade Nacional não merecia aquilo. Mas são coisas que as pessoas que não vivem o dia a dia do Nacional não sabem, mas são coisas que, às vezes, saem do controle da gente. Mas eu, como presidente, só tenho que pedir desculpas à torcida. E pode ter certeza, que o Nacional, a partir do dia 2 de janeiro, vem muito forte.

Jogadores com pré-contrato

95% dos jogadores já estão com pré-contrato assinado e a gente não corre risco do que aconteceu no ano passado (jogadores serem anunciados, mas depois irem para outros clubes). É um trabalho que vem desde agosto. Teve jogador contratado no dia 8 de agosto, que já estava apalavrado com a gente. A gente está fazendo as coisas com muito carinho, com muita atenção e quietos no nosso canto e pode ter certeza que a gente vai fazer um grande grupo.



Envie um comentário »